- APRESENTAÇÃO -

O objetivo deste Blog é divulgar projetos, pesquisas, trabalhos, textos que abranjam o pensamento filosofal de diversas áreas e diversos pensadores, disponibilizando-os a quem assim quiser partilhar e precisar para suas próprias investigações e pesquisas. Grato a todos que me ajudaram: Professores, Tutores e Colegas.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PLANO DE ENSINO - FILOSOFIA

CAMPUS – EAD – LONDRINA-PR

Faculdade de Filosofia e Ciências da Religião

Filosofia Licenciatura


AGUSTAVO CAETANO DOS REIS - Nº 161062

FILOSOFIA

PROJETO INTEGRADO

Trabalho apresentado ao processo avaliativo de Filosofia à atividade: Plano de ensino. Em cumprimento às exigências do curso de Licenciatura em Filosofia, da Faculdade Metodista de São Paulo - Polo Londrina.



Professor Coordenador: Wesley Adriano Martins Dourado


SÃO BERNARDO DO CAMPO-SP-2011

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..................................................................................................03
PLANO DE ENSINO.........................................................................................04

OBJETIVOS GERAIS........................................................................................04

OBJETIVOS ESPECÍFICOS.............................................................................04

CONTEÚDOS....................................................................................................05

JUSTIFICATIVA...............................................................................................07

METODOLOGIA...............................................................................................09

AVALIAÇÃO.....................................................................................................10

REFERÊNCIAS..................................................................................................11

REFERÊNCIAS DE PESQUISA.......................................................................11


“Livremo-los [os homens], pois, das quimeras, das ideias, dos dogmas,

dos seres imaginários, sob o jugo dos quais eles se estiolam.”

Prefácio de A ideologia alemã.



INTRODUÇÃO



Como atividade premente do Plano de Ensino, doravante se fazer necessária a atividade nominada por Projeto Integrado, dentro da qual se roga a confecção de um Plano de Aula para a Educação Básica, em especial o Ensino Médio.

O referido plano de aula deve abranger no mínimo duas aulas, ou 100 minutos e valer-se do texto de Karl Marx e Friedrich Engels: “A ideologia alemã”.

Deve-se acompanhar o respectivo plano de aula uma justificativa que demonstre a relação metodológica que satisfaça o ministrar da aula com o tema em tela e a proposta defendida pelo Aluno exercendo as vezes de Professor.

Em assim sendo, segue o material.


PLANO DE ENSINO



OBJETIVOS GERAIS

A Filosofia em sua proposta inicial vincula-se na apresentação de um Karl Marx – em especial, sem menosprezar seu companheiro Friedrich Engels. – como uma pessoa que possuía sentimentos e que a pecha de comunista e capitalista frio não devem ser avaliadas como única ótica, pois seus objetivos eram maiores do que as compreensões e interpretações de sua obra.



OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Introduzir o livro aos alunos, solicitando no decorrer do curso que realizem a leitura do mesmo.

Tecer um perfil bibliográfico de ambos autores.

Abordar em duas aulas, dois trechos do livro.

Em primeira instância, o próprio prefácio em si e suas ideias libertadoras, com cunho até mesmo metafísico, força motriz do objetivo a ser desvelado no perfil de Karl Marx.

Introdução e dissecação do idealismo positivo, a conversão do mundo material em mundo de ideias bem como a história. O raciocínio crítico como libertação das coisas atuais. Tecer comparação com a época de Marx com a contemporânea. Onde o raciocínio crítico poderá exercer libertação.

CONTEÚDOS



3ª SÉRIE – ENSINO MÉDIO



PERÍODO: 1º TRIMESTRE



Surge o bom senso da realização preliminar de um bate-papo introdutório, em que se desmistifique a disciplina e introduz a temática: O que é Filosofia?, com notas e pequenos testes informais.


1- CONTEÚDO ESTRUTURANTE – A ideologia alemã de Karl Marx e Friedrich Engels.

Conteúdos básicos:

Ideologia: desenvolver e explanar seu conceito.

Capitalismo: desenvolver e explanar seu conceito.

Metafísica: desenvolver e explanar seu conceito.

Conteúdos específicos:

Trabalhar junto aos alunos o cerne gramatical e filosofal de um idealismo, sua função, ação e reações,

Expor de forma sucinta como vivemos hoje em função do capitalismo proposto no tempo de Karl Marx e como isso nos parece ser tão natural. Suas conseqüências desmedidas e possibilidades de se viver de outra forma.

Abordar o conceito metafísico e sua profunda concepção nos dias de hoje onde a amplitude da experiência além da physis ainda nos permeia e nos norteia. (Mundo das ideias).



2- CONTEÚDO ESTRUTURANTE – Capitalismo e Positivismo



Conteúdos básicos:

Introdução ao Capitalismo.

Introdução ao Positivismo.



Conteúdos específicos:

Como as relações de trabalho, em especial patronal e empregatícia, nos parecem hoje e como poderiam ser caso não vivêssemos num capitalismo funcional.

As teorias do positivismo e a relação do mesmo com nossa nação – Bandeira do Brasil.

Abordagem inicial do que é entendido por comunismo.



OBSERVAR:

O que os alunos pensam de Karl Marx.

Como eles imaginam ser a vida sem a relação de trabalho patrão + empregado.

Pensar a liberdade e sua função nos dias de hoje.


JUSTIFICATIVA

O foco do estudo de Filosofia precisa ser o material humano. E esse material humano está em contínuo devir. Filosofar no ensino não pode ser uma mera viagem, mas também ir além do processo reflexivo. Filosofia conduz à uma segurança subjetiva, mas que também, em nível estudantil e humanitário, leve a análises de problemas reais da vida, do topos. Ficar sentado numa sala por diversos minutos ouvindo sobre pessoas que falavam e escreviam complicado exauri e não é eficaz. A liberdade de pensamento está em ampliar o conhecimento filosófico do aluno de forma tal que ele possa compreender que o mundo em que vive hoje nem sempre foi assim, e que amanhã também poderá vir a ser diferente, justificando o eterno devir já mencionado.

Parafraseando Marx, a constatação das relações de trabalho, a transformação das forças pessoais em forças materiais causadas pela divisão do trabalho só é possível na comunidade, onde a liberdade pessoal é possível. (MARX, p. 92, 2001).

A Ideologia Alemã de Karl Marx e Friedrich Engels nos traz em seu preâmbulo a seguinte frase: “Até agora, os homens formaram sempre idéias falsas sobre si mesmos, sobre aquilo que são ou deveriam ser.” (MARX, p. 3, 2001), trata-se de uma colocação importante: o empresário e o trabalhador dependem um do outro; se não houvesse divisão laboral, não haveria conflitos e conceitos limitantes; dependência ou deficiência gera troca de algo que se tem possível de concretizar pelo que se necessita, tal como um escravo vende seu esforço físico, uma prostituta seu corpo através de favores sexuais, um trabalhador sua habilidade, todos em troca de algo que precisam, uma “moeda” que lhes permitam trocar pelo que querem.

Depreende-se ainda que a transformação da história universal não seja um fato do imaginário e sim de ações, de algo concreto. Pensamentos sem atos, filosofia sem ação, são enfeites dos fracos e frouxos e não alteram, tampouco constroem a história. Essa tentativa heroica precisa ser demonstrada em sala para os alunos.

Os autores defendem que não é a crítica, mas sim a revolução que constitui a história e sua força motriz, uma vez mais a ação é que move.

Muito embora o próprio texto seja algo que intelectual somente, devemos compreendê-lo como a ação física (escrita tornada pública) do ato filosófico em si.

Abraçar a premissa de que todos os seres humanos têm o direito de decidir nos rumos das suas vidas e que as crianças e jovens também fazem parte desse rol, pode possibilitar essa autoridade de eles, pelo menos entenderem e analisarem as problemáticas que a vida cobra, deixando de serem meras peças de uma máquina moldadora de caráter e fugindo de uma Filosofia meramente especulativa, tal como Karl Marx pretendeu em sua época.

METODOLOGIA

O ensino de Filosofia da forma como se propõe possibilitará ao aluno, através dos conteúdos estruturantes e básicos, bem como de seus conteúdos específicos a sensibilização, a problematização, a investigação e a criação de conceitos amplos, disciplina e confiança. Para tanto, o educando estará, constantemente, recebendo indicações formais de como ler um texto de maneira crítica, como fazer resumos, interpretações, análises e dissertações, avaliar um filme, um documentário, apreciar um palestrante e realizar debates.

Deste modo, serão desenvolvidos métodos e técnicas de leitura e análise de textos – analíticos e reflexivos -, exibidos imagens, visando a articulação, por parte dos alunos, das teorias filosóficas, bem como do tratamento de temas e problemas científico-tecnológicos, ético-político, sócio-culturais e vivenciais, palestrantes e demais atividades externas junto ao comércio (topos) que o estabelecimento concordar em realizar.

Visando atingir os objetivos propostos, será necessária a utilização de meios auxiliares para a efetivação dos mesmos, gerando pesquisas em diversas fontes, tais como os meios de comunicação e expressão que nos circundam e nos sociabilizam inclusivamente: fala, corpo, escrita, libras, audiovisuais, cartazes, folders, plotagens, cartazes de rua, fachadas, aérea, 3 D, celular; associados às demais mídias e acessos convencionais: revistas, jornais, dicionários, retroprojetor, televisão, rádio, textos de apoio, MPs, aulas expositivas, livros didáticos e paradidáticos; internete; DVDs de filmes/documentários; CDs de músicas; cinema, teatro, telegrama, carta, até mesmo um simples bilhete atrelados a efetivo pessoal gabaritado.

É necessário usar procedimento pelos quais os alunos possam se expressar e desenvolver, a sensibilidade, a intuição, e afins, através de diálogo, reflexão, debates, relatos, entrevistas, observações, comparações, questionamentos, análises de textos, dramatizações (encenação), pesquisas em livros, revistas e textos, pesquisa de campo e recursos audiovisuais, especialmente vídeos e filmes, experiências de entrevistas com outros Professores de filosofia da cidade para mostrar gente viva e real, dentre e outros.

Trazer aos alunos DVDs de documentários e/ou filmes onde coloquem a visão do capitalismo, da liberdade e da metafísica como alavanca de apoio no estudo e preparo para a individualidade na vida concreta.

AVALIAÇÃO

A avaliação será diagnóstica, contínua e formativa segundo critérios propostos na metodologia dos conteúdos trabalhados, sendo os conteúdos cumulativos, sempre avaliando a participação e progresso do aluno durante as atividades designadas.

Em se tratando de um processo em que não trabalha sozinho, ou seja, não se isola das outras áreas do conhecimento, há a imperiosa necessidade de se buscar procedimentos tais que permitam um processo paralelo de avaliação.

Entrevistas individuais e coletivas; comunicação oral e escrita; observação dirigida e espontânea de atitudes; participação em trabalhos de grupos; relatórios; exposição de trabalhos; trabalhos escritos ou orais; relatos de experiências pessoais ou familiares; produção de texto e participação do aluno em sala de aula; prova escrita.



Obs.: Por se tratar de um planejamento intuitivo e a necessidade de se aquilatar a topologia que provoca o futuro educador em suas variáveis já expostas acima, pois nem sempre é possível conhecer os discentes antes de elaborar o plano de aula, no decorrer do ano letivo este planejamento poderá sofrer ajustes.

REFERÊNCIAS

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich; A ideologia alemã. Tradução de Luis Cláudio de Castro e Costa. Ed. Martins Fontes. São Paulo. 2001.



Tempos modernos (Modern Times, EUA 1936); DIREÇÃO: Charles Chaplin ELENCO: Charles Chaplin, Paulette Goddard, 87 min. preto e branco, Continental.

REFERÊNCIAS DE PESQUISA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário